Seguidores

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A tal da biomassa

Quem me conhece sabe que eu ODEEEIIIIOOOOOO banana.
Odeio mesmo! Não suporto nem o cheiro, mas com essa coisa de estar no estilo Paleo (sim, estou e vai ter blog só sobre isso!) e de todo este alvoroço com a tal da biomassa de banana verde, resolvi testar.
É claro que não foi fácil assim, né? Afinal são muitos anos de ojeriza à frutinha.
Primeiro eu pesquisei, pesquisei, li receitas e depoimentos e me convenci que pela versatilidade do tal purê, ele não deveria ter tanto gosto de banana e que talvez o custo-beneficio valesse a pena.
Foram alguns meses lendo e me convencendo sobre o benefícios da biomassa - o tal amido resistente que não se transforma em açúcar e só é absorvido pelo intestino, gerando uma microbiota forte e saudável, ajudando a diminuir o colesterol ruim , compactuando para o bom transito intestinal e, o melhor de tudo, auxiliando na perda de peso.
Como ano novo é motivador para mudanças e inovações, lá fui eu para o supermercado comprar a banana verde (orgânica). Foi fácil! Por aqui o difícil mesmo é achar banana amarelinha.
Olhei a receita e fiz. Isso na terça à noite.
Na hora provei e achei que tinha gosto de inhame.
Procurando na internet o que fazer com ela, achei muita  (pasmem!) com açúcar! o que tira todo o sentido da coisa, né? E uma ou outra receita salgada, na maioria das vezes só mesmo acrescentando a biomassa em uma receita já existente - só como complemento mesmo. O que, para mim, também não fez muito sentido.
Teimosa que sou, fui inventar.
Confesso que a criatividade passou longe e fiz só um purê mesmo, mas só da biomassa  - sem batata ou batata baroa como achei algumas receitas.
A biomassa depois que vai pra geladeira fica dura que só e meu primeiro erro foi não ter amassado ela como se fosse batata mesmo. Joguei o quadradinho de biomassa na panela já com o leite quente e a manteiga derretida e depois tive um trabalhão p amassar tudo (finalmente entendi para que serve aquele amassador de batatas com o cabo grande). Misturei salsinha, azeitona e sal e pronto! Cara de purê ( de inhame, mas purê)
Terminei de fazer o resto do prato do dia e me sentei ansiosa para comer.
...
...
...
É...o gosto de banana está lá. Bemmmm no fundinho, mas o suficiente para eu não achar uma delícia e pensar que talvez a biomassa seja mesmo só para ser acrescentada às receitas e não a base delas.
Tenho mais 2 potinhos no freezer e as próximas tentativas serão de brigadeiro - já li em vários sites que fica ótimo (duvido!) e de estrogonofe. Depois eu conto como foi.
Se alguém já usa a biomassa e tiver alguma sugestão (sem açúcar e sem trigo) eu agradeço muitíssimo a colaboração .
Por hora vou me concentrar no que já está dando certo do estilo/dieta paleo e contar tudinho que estou aprendendo no blog novo que vem aí

Feliz ano novo gente!



Receita da biomassa :

Corte as bananas com o talo, lave e coloque numa panela de pressão (com casca mesmo) com água suficiente para cobri-las
Depois que começar a chiar, cozinhe por 10 min ( em panelas de pressão elétricas, como a minha, coloque o timer para 13-15 min. É o suficiente)
DEIXE A PRESSÃO SAIR SOZINHA da panela (não me perguntem o porquê disso! Acho que é para cozinhar mais um pouquinho)
Pronto! Retire a poupa das bananas e bata no liquidificador ou processador.
Dura 3 dias na geladeira e de 3 meses no freezer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário !
espero que tenha gostado do que leu!